segunda-feira, 3 de julho de 2017

Final clichê: sim ou não?


O cinema está cheio de filmes com finais considerados clichês e a literatura também. Por quê? Porque sempre vai ter alguém que gosta disso. O autor Nicholas Sparks é um exemplo claro {lembrando que tem gente que não gosta e outras pessoas que gostam, como eu, portanto vamos respeitar}. De qualquer forma, podemos generalizar o enredo em: um casal se apaixona, algo/alguém os separa + surgem empecilhos, eles voltam a ficar juntos. Ou no caso dos vilões: eles morrem em algum acidente, são presos ou mocinho o mata em legítima defesa. Com exceção de algumas histórias, é isso que acontece. Portanto, não mude seu final e mate um dos personagens principais desnecessariamente ou faça com que o mocinho case com a prima sem graça da personagem principal apenas para fugir do clichê. Lembre-se sempre de que existem leitores que AMAM esse tipo de final.

Espero que minha opinião tenha sido útil!
Comentem e ajudem a divulgar para outros escritores :)
 (postagem nova toda terça-feira)

Postagem em destaque

Apresentação