Pular para o conteúdo principal

Precisamos falar sobre: ASSÉDIO

 Está tendo um perceptível aumento das denúncias sobre assédio nos meios televisivos internacionais. Isso aconteceu, especialmente após atrizes, modelos e funcionárias da indústria cinematográfica de Hollywood acusarem importantes homens de assédio, o que fez novos relatos surgirem. Mas, eu não quero focar nelas, embora elas também mereçam ser ouvidas. Eu quero focar em mim, em você, nas conhecidas da faculdade, cidade...em todas as mulheres que moram no Brasil.
 Decidi escrever esse texto, após ver que entre a população feminina não há unidade na questão Assédio. (Se você é um homem, por favor, não pare de ler o texto, pois é importante que vocês saibam como nós nos sentimos diante disso.)
 Hoje, mais uma atriz acusou um ator de estupro. Não citarei nomes, porque não é minha função avaliar a veracidade da história e nem denegrir a imagem de ninguém. O que me espantou foi ver dezenas de mulheres criticando a postura dela, através de justificativas no mínimo bizarras. Todo dia, pessoas são assedias, especialmente mulheres, porque ainda se tem a ideia de que o sexo feminino é o ''sexo frágil''. E dessa forma, dia após dia, nós escutamos comentários, piadas, assobios, cantadas agressivas e sentimos nossos corpos sendo tocados sem autorização na rua, trabalho, cinema, shopping, dentre outros locais.
 Não interessa roupa, perfume, sapato, comportamento ou palavras. Parte dos homens ainda se acha no direito de nos parar e tentar uma aproximação não-autorizada. Porém, a pior parte, em minha opinião, é ver mulheres criticarem outras mulheres, sem nem ao menos lhes dar o benefício da dúvida, sem antes averiguar os fatos. E muitas usam os mesmos argumentos utilizados por alguns homens: ''estava no lugar errado'', ''também, olha a roupa'', ''ela deve ter dado charme'', ''é mentira. Se fosse verdade, teria falado antes''... NÃO! Nenhuma mulher quer ser assediada. Nós não queremos ouvir cantadas como ''ei, gata, o cachorro tem telefone?'', ''aonde vai boneca?'', sentir puxarem nossos braços, tocarem em nossos corpos, dentre outras formas de assédio moral, físico e psicológico que acontecem diariamente. Resumindo, nós NÃO queremos ter medo de andar na rua sozinhas. 

E só caso ainda reste dúvida, segue a definição de assédio:

 Assediar
as-se-di-ar
vtd
1 Pôr assédio, cerco ou sítio a (praça ou lugar fortificado); cercar, sitiar.
vtd2 Perseguir de maneira insistente, geralmente com propostas.
vtd3 Insistir de modo ofensivo, com a intenção de seduzir alguém ou manter relacionamento sexual, servindo-se geralmente do poder que detém. 

Por favor, caso você pratique algo do tipo, repense seus atos. Senão, excelente! E ajudem-nos a coibir o número de assédios praticados. 

Postagens mais visitadas deste blog

Uso de letra Maiúscula ou Minúscula após o travessão?

Quando houver um verbo que introduz uma fala, demonstra um pensamento ou indica uma atitude [ex: disse, afirmou, indagou, perguntou, negou, pediu, solicitou...], usa-se a letra minúscula, pois é uma espécie de continuação do que o personagem está dizendo. Porém, quando o que o narrador disser for uma ação diferente da fala [ex: bateu a porta, ligou o carro, derrubou o caderno, chutou a cadeira, quebrou a garrafa...], o comentário do narrador deve ser iniciado com letra maiúscula e a fala do personagem deve ser pontuada.

Ex situação 1:
- Eu te odeio! - exclamou.
OU
- Meu voo sairá amanhã às 18 horas - afirmei.

Ex situação 2:
- Vamos embora daqui. - Ligou o carro, após fechar a porta com força.
OU
- Desculpe-me por isto. - Referindo-se ao instante em que quebrou o vaso de sua avó.

Espero que minha pequena explicação tenha ajudado vocês! Aproveitando, indico o blog da Samanta Holtz. Lá, eu encontrei algumas dicas bem úteis para escrita também. (link: http://www.samantaholtz.com.br/blog…

Resenha de Apocalipse - J.Bizatto

O segundo volume da série Heranças de Sombras (o primeiro é Luxúria) é marcado por mais problemas na vida de Samantha e Benjamim. Sam agora se descobre bruxa, descendente de uma importante linhagem e também descobre que Ben é um caçador, portanto seu oponente natural. Isso, certamente, coloca o casal em uma situação complexa, pois eles precisam decidir se seguem seus sentimentos ou se passam a se considerar inimigos.


  A autora soube construir com maestria o amadurecimento dos personagens e eu notei em Sam atitudes mais conscientes, apesar dela ainda ser bem impulsiva. A obra mescla elementos da história das bruxas com lendas de cidades pesqueiras, trazendo de volta a visão original das bruxas, invés dos estereótipos criados após Harry Potter. Todas as capas possuem relação com elementos dentro da história, incluindo os símbolos usados pelos caçadores.
  O final de Apocalipse é um momento de pura tensão, dando uma clara margem ao volume 3. Se você gosta de romances mesclando fantasi…

Resenha Crítica de Meu Porto Seguro - Mithiele Rodrigues

Hoje é dia de resenha crítica! Escolhi o livro ''Meu Porto Seguro'' da autora Mithiele Rodrigues. 

Li esse livro na Amazon e após a minha avaliação, vou deixar o link para quem quiser lê-lo também. A avaliação será baseada em 4 pontos, sendo que sempre acrescentarei um 5 ponto comentando a escolha do título, nomes dos personagens e cenários.  

Resenha: Taylor tenta fugir de alguém do passado mudando de cidade, porém, lá, ela acaba tendo um caso com Max, um homem rico e que gosta de curtir a vida. Ela considera ser algo de uma única vez e arranja um emprego novo, apesar de ainda pensar no homem misterioso. No novo trabalho descobre que seu ''amante de uma noite'' na verdade é seu chefe. É então que Max decide conquistar Taylor, apesar de notar que há algo estranho acontecendo toda vez que ela recebe ligações ou mensagens. Tais ligações/mensagens a fazem temer pelo futuro dos dois e apesar de querer ser independente, Taylor precisará aprender a pedir ajuda.…